domingo, 17 de agosto de 2014

Pão Branco

Resolvi começar pela receita mais simples, que também é a primeira do livro, porém já tinha me decidido a não necessariamente seguir a ordem. É o que se chama de massa pobre, usa apenas farinha, água, fermento e sal. Simples, fácil e gostoso.




Nunca tive grande paciência para receitas que dependessem de mim durante bastante tempo, ou muitas vezes ao longo do preparo, mas ao que tudo indica o método do livro é assim. A sova da massa é feita em algumas etapas de menos de um minuto cada, com descanso de 10 minutos entre elas. No fim das contas, é bem mais leve para os braços do que se fosse feita de uma vez. E parece funcionar.




A massa estava um pouco mais seca do que eu esperava, então o pão ficou mais pesado e denso, o que não impediu que ficasse macio.
Minha forma era maior do que precisava, então o pão não ficou tão alto quanto deveria.

Testei ao natural e na torradeira.
Resultado: aprovado!







Obs.: O rasgo que se vê na lateral do pão é devido ao tempo de fermentação depois da modelagem, que não foi tão longo quanto deveria. Segui a descrição do livro, mas por estar frio, não foi o suficiente, mesmo assim, quis testar.

Para começar

Como se diz nas guerras: antes da batalha é bom conhecer o inimigo.
Então, lá fui eu ler a introdução do livro antes de fazer qualquer teste. Percebi que eu e o autor teremos alguns problemas de execução ao longo do processo. Algumas alterações terão que ser feitas.

Um bom exemplo é o fermento. O autor cita no livro os tipos de fermento (biológico fresco, seco e instantâneo). O fresco é o mais antigo, aquele de tablete, que precisa de refrigeração. O instantâneo é o que se tem usado bastante ultimamente, fácil de encontrar nos mercados, menos perecível que o primeiro, e mais simples de usar. E o seco, o que ele diz ser o mais usado no livro, não é muito produzido no Brasil, é como se fosse o instantâneo, mas precisa ser hidratado antes de usar.
Pela facilidade de utilização e armazenamento prefiro e vou continuar usando o instantâneo. No resultado final, não dá diferença. Só uma dica: se for trocar o biológico fresco pelo instantâneo nas receitas, divida a quantidade por 3, pois o instantâneo é 3 vezes mais forte que o fresco.

Mais uma coisa que queria colocar aqui é de onde veio minha motivação para criar esse projeto.
Sempre que assisto o filme Julie & Julia (fiz uma pequena resenha do filme aqui) me sinto inspirada à fazer alguma coisa, e usar meu tempo para algo mais construtivo e criativo, ganhando ou não dinheiro com isso. Revi o filme faz um pouco mais de um mês, e desde então vinha me programando para começar, até que parei de tentar programar e resolvi começar. E aqui estou!

No próximo texto já trago a primeira receita. 
Vocês não perdem por esperar.
Até breve!

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Novo Projeto

Já nem sei mais quantas vezes eu recomecei esse blog, mas faço mais uma agora.
Nesta fase pretendo fazer algo novo, um projeto, todo dedicado ao assunto mais presente na minha vida nos últimos meses: PÃO. Sim, aquele que você come, ou gostaria de comer, todos os dias.

Trabalho com isso há alguns meses, mas me interesso pela panificação desde criança. Desde o pão caseiro que minha avó faz, as idas a pé (chatas e cansativas) até a padaria para comprar o pãozinho de sempre, ou as baguetinhas da minha outra avó, que tinham que ser daquela padaria específica, até as incansáveis tentativas de achar um pão de forma integral industrializado que seja gostoso.

Existe também uma tentativa de criar e exercitar a minha disciplina, com o objetivo de começar e terminar esse projeto que se resume à: testar todas as receitas do livro PÃES (Emmanuel Hadjiandreou, PubliFolha), e postar os resultados, bons ou ruins, que saírem disso.
São 53 receitas e eu me coloco o prazo de 100 dias para terminar o livro. Não coloco o tempo menor, pois sei que seria quase impossível de seguir, e porque sei que não teremos tempo e nem estômago de comer tudo tão rápido, afinal, somos só dois em casa.

Espero, sinceramente, que sirva de alguma coisa para vocês que lerão esses relatos, e de estudo para mim. Como era de se esperar, meu intuito aqui não é postar as receitas, mesmo porque, eu poderia ser processada pelo autor ou pela editora, mas não quer dizer que algo não possa ser escrito aqui.

Por fim, desejo-me boa sorte, e que com esses testes não venham muitos quilos.


quinta-feira, 9 de maio de 2013

Torta de Liquidificador - Baixo Carboidrato

Hoje vim postar para vocês uma receita de torta de liquidificador que é bem versátil.
Para sair um pouco da farinha branca de trigo, usei farinha de grão de bico e linhaça triturada. De recheio da para usar basicamente qualquer coisa, vai do seu gosto, ou do que tiver na geladeira.


O que você vai precisar:
Massa
- 1 xícara de farinha de grão de bico
- 1 xícara de linhaça triturada (ou farinha de linhaça)
- 1 ½ xícaras de água
- 1/2 xícara de óleo
- 1 colher de chá de fermento em pó
- 4 ovos
- 1 colher de sopa de mostarda
- 2 colheres de sopa de alho frito
- sal, pimenta, orégano, gengibre em pó a gosto
- 2 colheres de sopa de azeite

Recheio
- 6 fatias de presunto cortadas em tiras
- 6 fatias de mortadela cortadas em tiras
- 1 cenoura média ralada

Modo de Preparo:
- Coloque todos os ingredientes da massa (menos o azeite) no liquidificador, e bata até ficar homogêneo.
- Em uma assadeira, untada com manteiga, coloque metade da massa da torta.
- Distribua o recheio sobre a massa
- Preencha com a outra metade da massa e regue com o azeite.
- Asse em forno médio, pré-aquecido, por 40 minutos.

Se você achar que a massa ficou muito grossa, ou que não está processando corretamente, acrescente mais água. A massa vai ficar mais densa e pesada do que a de uma torta com farinha de trigo. Se preferir não colocar a linhaça, acrescente mais farinha de grão de bico, ou se outro grão de sua preferência.


PS: As fotos ficaram bem ruins.. Assim que fizer outra torta, tiro fotos melhores e posto aqui!

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Pão de Grão de Bico

Continuando nas receitas da dieta, testei o que eles chamam de pão de grão de bico. Na minha opinião está mais para um bolo, seco e pesado.
Não é ruim, mas não se assemelha muito a um pão. A não ser quando se torra uma fatia fina com manteiga...

O que você vai precisar:
- 200g de farinha de grão de bico¹
- 80g de manteiga
- 5 claras
- 2 gemas
- 1 cl de chá de fermento em pó
- uma pitada de sal

¹é possível encontrar a farinha de grão de bico pronta, mas caso queira fazer, é só processar os grãos crus até obter uma farinha lisa, para um resultado melhor, peneire.

Modo de Preparo:
- bata as claras em neve, com uma pitada de sal, e reserve
- bata a manteiga com as gemas até ficar cremoso, e reserve
- misture a farinha de grão de bico com o fermento
- acrescente a farinha à mistura de manteiga e gemas
- incorpore levemente as claras em neve à mistura
- despeje em uma forma de bolo inglês untada, com papel manteiga
- asse em forno pré-aquecido por 40 minutos

Depois que misturar a manteiga com a farinha vai ficar bem consistente, bem seco, conforme você for misturando as claras, vai melhorando, mas mesmo assim, não fica uma massa mole.

Fiz algumas alterações da receita original, que é oferecida pela equipe do Body Change. Eles colocam 160g de grão de bico, e 40g de farinha de amêndoa, como não tinha, coloquei mais grão de bico. Fiz a troca do bicarbonato de sódio por fermento em pó, e retirei 1 colher de sopa de semente de abóbora da receita. Não sei se essas mudanças alteraram muito o sabor e a textura, mas creio que não. Vou testar a receita original também, e posto aqui depois. Da próxima vez que fizer, colocarei mais sal, acho que faltou um pouco.


Comer ele sozinho não é muito gostoso, mas acompanhado de algo para umedecer, fica bom. Experimentei com manteiga e presunto, com salame e torrado com manteiga. Ele quente fica mais gostoso, também. Outra dica bacana é cortar fatias finas.
O pão não dura muitos dias, devido à falta de conservantes, por isso é bom fazer no máximo uma receita dessas, e esperar acabar para fazer novamente. O pão é pesado, então não dá para comer muito de uma vez.

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Salada de Grão de Bico

Comecei uma dieta há quase uma semana. Já passou da hora de dar um jeito nas coisas por aqui.
E nela estão vetados os doces, as frutas - só podem ser consumidas após os exercícios - , as bebidas alcoólicas - o vinho está liberado, desde que consumido junto com as refeições - e os carboidratos em geral.
Se quiser saber mais sobre isso, começamos um blog - eu e a Rose Castilho - com a nossa rotina e nossos cardápios. Veja mais aqui.

Por esse motivo as receitas que pintarem por aqui agora, seguirão um pouco desse padrão.
Começando por uma salada de grão de bico - carboidrato permitido - bem simples e gostosa para substituir o arroz.

O que você vai precisar:
- 300gr de grão de bico cozido
- 1 cenoura ralada
- 100gr de ervilha
- sal a gosto
- 2cl de sopa de azeite
- orégano e salsinha a gosto

Modo de Preparo:
- Misture todos os ingredientes e sirva gelado.

Dicas:
- Para o grão de bico ficar mais saboroso, adicionei um pouco de sal, aceto balsâmico, e caldo de frango na água do cozimento.
- Se quiser, também pode colocar atum, cebola, tomate sem casca e sem semente.
- Pode ser usada como acompanhamento de carnes, ou mesmo de salada de folhas.

terça-feira, 9 de abril de 2013

Kibe de Batata


Tenho percebido que a ausência vai ser algo constante nesse blog. Por mais que eu continue cozinhando com frequência, principalmente quando não estou trabalhando, me falta tempo de vir postar aqui. Material eu tenho aos montes, mas...
Se tudo sair como o esperado, colocarei uma série de receitas árabes, e nem tão árabes assim. Devido a um evento que fiz semana passada. Para começar, um kibe vegano.

O que você vai precisar:
- 1kg de batata descascada ralada
- 500g de trigo para kibe hidratado
- 150ml de azeite de oliva
- 5 cl de sopa de orégano
- 1 cl de chá de cominho em pó
- 1 cl de chá de canela
- 1 cl de chá de gengibre em pó
- sal e pimenta a gosto

Modo de Preparo:
- Misture todos os ingredientes
- Coloque a mistura em uma assadeira grande untada com óleo ou azeite.
- Regue com azeite.
- Cubra com papel alumínio e asse em forno médio por 1hr.
- Retire o papel alumínio e deixe assar em fogo alto por mais meia hora, ou até que esteja dourado.

Dicas:
- Para hidratar o trigo, coloque em uma vasilha e adicione 1 litro de água, deixe descansar por 2 horas.
- Pode ser recheado com queijo, ou outro ingrediente de sua preferência.
- Por não conter nenhum ingrediente de origem animal, pode ser consumido por vegetarianos e veganos.
- Se quiser, misture cenoura ralada na massa.

Dificuldade: pouca
Rendimento: uma assadeira grande
Custo: baixo



Espero que gostem e até a próxima!